Rinoplastia e Cirurgias Plásticas Faciais

Dedicada a reconstruir partes da face com defeitos congênitos ou adquiridos e reconstituir a estética.

Rinoplastia (Cirurgia Plástica do Nariz)

É uma das cirurgias que mais evoluiu nos últimos anos e que apresenta maior grau de dificuldade na curva de aprendizado. As técnicas atuais evitam grandes retiradas e realizam enxertos de cartilagem com frequência.

Tenta-se sempre evitar o nariz com cara de operado ("narizinhos arrebitados"), tentando ao máximo adequar o nariz ao rosto e biótipo da paciente. As incisões podem ser internas ou associadas à pequena incisão na columela ou nas asas nasais, quando tiverem que ser reduzidas ou "rodadas" para dentro. O curativo pode ser com gesso ou outro imobilizante e só com micropore, se não houver fratura.


 

Lifting Facial e cervical

É a "rainha" das cirurgias plásticas, sem dúvida a mais complexa e rica em táticas e detalhes do arsenal da especialidade. As técnicas atuais tratam não só a pele, como todas as estruturas profundas (gordura, músculos faciais) com resultados mais duradouros e naturais, sem deixar nenhum estigma ou sinal de sua execução.

 

Blefaroplastia (Cirurgia de Pálpebras)

É cirurgia que visa à ressecção de pele e/ou bolsas de gordura das pálpebras superiores e inferiores, e eventualmente à correção de alterações como a ptose palpebral (queda das pálpebras). Nas pálpebras superiores, o mais habitual é a ressecção de pele, às vezes de músculo e das duas bolsas gordurosas, medial e lateral.

Por esta via pode-se também elevar a cauda do supercílio, tratar a ptose palpebral ou tratar os músculos corrugadores, que provocam as rugas verticais entre os supercílios. Os músculos que provocam os "pés de galinha", também podem ser tratados por esta incisão. Nas pálpebras inferiores podem-se tratar as 3 bolsas (media, medial e lateral) por via transconjuntival (pela mucosa, por dentro das pálpebras), sem ser necessário incisão na pele. Se for necessário retirar também pele e/ou músculo, a incisão é inevitável.


 

Otoplastia ("Orelhas de Abano")

São cirurgias utilizadas para corrigir as orelhas muito proeminentes, que em geral trazem grandes problemas emocionais e de relacionamento às crianças e adolescentes. As cirurgias podem ser feitas a partir dos 7 anos, idade em que as outras crianças costumam começar a chatear os portadores dessa deformidade.

As técnicas variam um pouco dependendo de cada caso, mas são sempre feitas com incisão atrás das orelhas, portanto imperceptíveis. Os curativos nas crianças devem permanecer por 7 dias, para evitar traumatismo da área operada. Nos adultos ficam por 24 horas.


 

Bichectomia

Considerada, atualmente, uma cirurgia da moda, temos que ter cuidados iguais aos de outra cirurgia qualquer. Procedimento para a retirada parcial da “Bola de Bichat”, um tecido gorduroso que todos temos em nossas “bochechas”.

Feito através de um pequeno corte por dentro da boca, rápida e com recuperação muito tranquila, esse procedimento deve ser feito em hospital, com a presença de um anestesista, podendo ser realizado com anestesia local e sedação.